A Reconventio: uma exceção canônica ao privilégio do foro eclesiástico e sua regulamentação em Portugal no começo do século XIV DOI 10.5216/o.v12i2.18355

Autores

  • Cassiano Malacarne UFRGS

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v12i2.18355

Palavras-chave:

D. Dinis, reconvenção, direito canônico, direito português, cartas de segurança

Resumo

Resumo: Em uma queixa apresentada pelo bispo de Lisboa em 1309 ao rei de Portugal, D. Dinis, o prelado exige que se respeite a imunidade judicial do clero em sua diocese. O monarca, contudo, afirma que essa imunidade era respeitada, mas que quando se tratasse de uma demanda feita diante de um juiz secular, por razão de obtenção de carta de segurança, o clérigo beneficiário poderia ser citado judicialmente através da Reconvenção. E cita como justificativa o próprio direito canônico. Tomando como base o contexto histórico de supremacia da Igreja e de sua ordenação jurídica, bem como o quadro geral de formação do Estado Moderno português, buscamos na legislação canônica, romana e portuguesa da época, a base jurídica dessa exceção no foro eclesiástico e os aspectos de recepção do direito canônico e romano no direito português. D. Dinis valia-se do direito canônico para fortalecer sua aplicação da justiça, dentro de um quadro de supremacia das leis canônicas na Cristandade, superioridade tanto na teoria quanto em grande parte também na prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cassiano Malacarne, UFRGS

Bacharel, Licenciado, Mestre e doutorando na UFRGS. Todos em História. Dissertação com o nome: A Prática do Direito no Direito Adversário: as infrações institucionais de D. Dinis às Leis Canônicas. Doutorando com a tese em andamento: Decretales D. Gregorii Papae IX - Liber V (Crimen). Tradução com Notas e Ensaio Interpretativo Introdutório.

Downloads

Publicado

20-12-2012

Como Citar

Malacarne, C. (2012). A Reconventio: uma exceção canônica ao privilégio do foro eclesiástico e sua regulamentação em Portugal no começo do século XIV DOI 10.5216/o.v12i2.18355. OPSIS, 12(2), 247–268. https://doi.org/10.5216/o.v12i2.18355