As oligarquias do sul de Minas em finais do Império e Primeira República DOI 10.5216/o.v12i1.18333

Autores

  • Fábio Francisco de Almeida Castilho Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp / Franca

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v12i1.18333

Palavras-chave:

Republicanismo, federalismo, periódicos

Resumo

Nosso trabalho inicia-se com um apanhado da bibliografia sobre o republicanismo e federalismo na Primeira República, com principal atenção à emergência do poder regional e dos coronéis locais. Em seguida nos detemos no estudo de dois grupos sediados no Sul de Minas. O primeiro deles era capitaneado por Silviano Brandão, político identificado com o regime imperial, mas que a partir da Proclamação da República conseguiu amealhar prestígio e organizar uma base de sustentação coesa que lhe permitiria usurpar o poder estadual. Por outro lado, existia o grupo dos republicanos históricos, liderados por Francisco Honório Ferreira Brandão, este agrupamento esteve envolvido na propaganda republicana regional desde 1872, mas com a implantação do novo regime foram excluídos e ficaram sem espaço de participação no novo governo, seguindo a partir deste marco uma longa trajetória na oposição ao governo estadual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Francisco de Almeida Castilho, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Unesp / Franca

Possui graduação em História pela Universidade Federal de São João Del-Rei (2006) e Mestrado em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2009). Atualmente é aluno do Programa de Doutorado em História da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp- Franca). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Império e Primeira República, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura política, elites políticas, sul de minas, proclamação da República e transição da mão-de-obra.

Downloads

Publicado

2012-12-02

Como Citar

CASTILHO, F. F. de A. As oligarquias do sul de Minas em finais do Império e Primeira República DOI 10.5216/o.v12i1.18333. OPSIS, Goiânia, v. 12, n. 1, p. 181–201, 2012. DOI: 10.5216/o.v12i1.18333. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/Opsis/article/view/18333. Acesso em: 29 maio. 2022.

Edição

Seção

Dossiê História política e relações de poder