A campanha eleitoral comunista no contexto da legalidade do PCB (1945-1947) DOI 10.5216/o.v12i2.18128

Autores

  • Claudia Monteiro Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v12i2.18128

Palavras-chave:

Partido Político, propaganda eleitoral, sentimentos

Resumo

Considerando as reflexões de Pierre Ansart, Eugene Enriquez e Serge Berstein sobre o papel desempenhado pelas subjetividades e sentimentos na política, o presente artigo analisa a campanha e a propaganda eleitoral empreendida pelo Partido Comunista do Brasil (PCB), durante o período de legalidade deste partido, na conjuntura de democratização entre 1945 e 1947. A partir da análise das fontes pesquisadas no fundo DOPS (Delegacia de Ordem Política e Social), sob a guarda do Arquivo Público do Paraná, o objetivo é demonstrar o quanto a campanha eleitoral, como um momento de intensificação das trocas afetivas e simbólicas, foi fundamental para o crescimento da visibilidade e da importância política do PCB. Neste sentido, a cassação do seu registro em 1947, impedindo-o de apresentar publicamente seus candidatos e suas bandeiras, representou um duro revés, pois o PCB era impossibilitado de usar a campanha eleitoral como uma ocasião de consolidação de sua identidade e do fortalecimento de suas ligações com os militantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Monteiro, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda em História pela Universidade Federal do Paraná, UFPR, bolsista CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior)

Downloads

Publicado

20-12-2012

Como Citar

Monteiro, C. (2012). A campanha eleitoral comunista no contexto da legalidade do PCB (1945-1947) DOI 10.5216/o.v12i2.18128. OPSIS, 12(2), 91–105. https://doi.org/10.5216/o.v12i2.18128

Edição

Seção

Dossiê História Política do Brasil: historiografia, história e memória