Inscrever (n)o espaço, mapear e historicizar fronteiras: uma análise sobre a “Carta Cartographica dos pontos importantes do território em litígio na questão de limites entre o Estado do Rio Grande do Norte e o Estado Ceará”(1903)DOI 10.5216/o.v11i2.14404

Autores

  • Saul Estevam Fernandes Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.5216/o.v11i2.14404

Palavras-chave:

Carta Topográfica, Caso Grossos, Manuel Pereira Reis

Resumo

Neste artigo, tento analisar a “Carta Cartographica dos pontos importantes do território em litígio na questão de limites entre o Estado do Rio Grande do Norte e o Estado do Ceará”, produzido no ano de 1903, pelo engenheiro, astrólogo, professor, cartógrafo e deputado federal pelo Rio Grande do Norte Manuel Pereira Reis. Tento explicitar, em um primeiro momento, de que maneira a família Albuquerque Maranhão esteve associada à uma rede de relações que constituiu e foi constituída pela inserção de respeitados intelectuais da época, como Tavares de Lyra, Rui Barbosa e Manuel Pereira Reis. Em um segundo momento, busco entender de que maneira a produção cartográfica é utilizada como artifício na inscrição, mapeamento e historicização do espaço potiguar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Saul Estevam Fernandes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Licenciado em História e Mestrando em História e Espaço, ambos pela UFRN, onde ainda desempenhou a função de docente.

Downloads

Publicado

31-12-2011

Como Citar

Fernandes, S. E. (2011). Inscrever (n)o espaço, mapear e historicizar fronteiras: uma análise sobre a “Carta Cartographica dos pontos importantes do território em litígio na questão de limites entre o Estado do Rio Grande do Norte e o Estado Ceará”(1903)DOI 10.5216/o.v11i2.14404. OPSIS, 11(2), 135–150. https://doi.org/10.5216/o.v11i2.14404

Edição

Seção

Dossiê Cultura, imaginário e poder