Os Jesuítas na Amazônia portuguesa: A “Crise de vocações” e seus reflexos na missão do Maranhão e Grão-Pará DOI 10.5216/o.v9i13.10122

  • Breno Machado dos Santos
Palavras-chave: Jesuítas, Amazônia portuguesa, Missões, Colégios, Brasil colonial

Resumo

Este artigo analisa as diretrizes de atuação dos jesuítas em atividade no Estado do Maranhão e Grão-Pará durante o século XVII. Além disso, propõe relacionar o reduzido número de religiosos na Missão com a crise de vocações apostólicas vivenciada pela Ordem no Estado do Brasil. Desta forma, pretende-se lançar luzes sobre os reflexos do dualismo existente no interior da Companhia de Jesus em função da opção pelas Missões indígenas ou entre as atividades ligadas ao âmbito dos Colégios da Ordem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Breno Machado dos Santos
É bacharel e licenciado em História pela UFJF (2006), mestre (2009) e doutorando em Ciência da Religião pela mesma Instituição, onde também exerce, atualmente, a função de Co-editor da Revista Sacrilegens. Tem experiência na área de História, com ênfase em História das Religiões, dedicando-se principalmente aos seguintes temas: História da Companhia de Jesus; pensamento jesuítico; Missões; populações indígenas; dinâmicas de contato intercultural; Brasil colonial. Bolsista FAPEMIG. E-mail: brenomsantos@ig.com.br
Publicado
08-06-2010
Como Citar
dos Santos, B. (2010). Os Jesuítas na Amazônia portuguesa: A “Crise de vocações” e seus reflexos na missão do Maranhão e Grão-Pará DOI 10.5216/o.v9i13.10122. OPSIS, 9(13), 100-118. https://doi.org/10.5216/o.v9i13.10122
Seção
Dossiê Campos de experiência e relações de força