TENOTOMIA DO MÚSCULO FLEXOR DIGITAL SUPERFICIAL E DESMOTOMIA ACESSÓRIA EM EQUINOS: GONIOMETRIA RADIOMETACARPIANA, METACARPOFALÂNGICA E INTERFALÂNGICA

Carlos Alberto Hussni, Marcos Jun Watanabe, Ana Liz Garcia Alves, José Luiz de Mello Nicoletti, Luiz Carlos Vulcano

Resumo


A proposta deste estudo foi avaliar os efeitos da tenotomia do músculo flexor digital superficial e a desmotomia do seu ligamento acessório sobre os ângulos formados pelas faces dorsais radiometacarpiano, metacarpofalângico e interfalângicos proximal e distal em equinos. Realizaram-se em nove equinos a tenotomia do músculo flexor digital superficial no membro torácico direito (MTD) e a desmotomia de seu ligamento acessório no membro torácico esquerdo (MTE). A goniometria radiológica foi procedida no pré-operatório e aos quinze, trinta e sessenta dias após as cirurgias. A tenotomia praticada no MTD diminuiu significativamente o ângulo metacarpofalângico (média com desvio-padrão pré-operatório – 140,7 ± 6,85; sessenta dias – 128,2º ± 5,93) e aumentou o interfalângico distal (média com desvio-padrão pré-operatório – 180,2º ± 5,43; sessenta dias – 197,3º ± 8,29). A desmotomia realizada no MTE diminuiu significativamente o ângulo interfalângico proximal (média com desvio-padrão pré-operatório – 172,6 ± 1,87; sessenta dias – 167,6 ± 1,36). As cirurgias estudadas não interferiram nos eixos radiometacarpianos. Os procedimentos cirúrgicos estudados alteraram significativamente os ângulos articulares distais ao carpo.

PALAVRAS-CHAVES: Ângulos articulares, desmotomia, equinos, tenotomia.


Palavras-chave


equinos; cirurgia; locomotor; biomecânica; tenotomia; desmotomia

Texto completo: PDF HTML

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Logotipo do IBICT


Visitantes: contador de visitas