A GRAMÁTICA DA PSICANÁLISE

João José Rodrigues Lima de Almeida

Resumo


Este artigo faz a defesa de uma filosofia da psicanálise que não interfira na autonomia da disciplina que analisa. Para tanto, propõe o método filosófico wittgensteiniano e faz uma breve exposição dos conceitos de gramática, descrição gramatical e terapia em seu contexto literário original. A seguir, esses conceitos terapêuticos são aplicados a um caso de uso de conceitos psicanalíticos num texto do Seminário XV, de Lacan, para servir como exemplo prático para a proposta de um projeto de investigação filosófica do corpus textual lacaniano.

Palavras-chave


Wittgenstein; Lacan; gramática; terapia conceitual.

Texto completo: PDF



UFG - FaFil (Faculdade de Filosofia - Campus Samambaia - mestrado (62) 3521 - 1129 secretaria (62) 3521 - 1164

Logotipo do IBICT

Visitantes:
contador de visitas