Ciência, natureza e nascimento humano: interfaces com o movimento de humanização do parto

Adriana Lenho de Figueiredo Pereira, Maria Aparecida Vasconcelos Moura

Resumo


A sociedade industrial transformou a compreensão da natureza e do homem. O movimento de humanização do parto e nascimento critica o excessivo controle e intervenção desta fase do ciclo vital humano, sendo este o ponto principal de embate com a tecnociência. Este artigo busca refletir as inter-relações entre as concepções de natureza e nascimento humano decorrentes do pensamento científico na contemporaneidade e o ideário da humanização do parto e nascimento. Consideramos que o controle e artificialização da natureza interna e externa ao homem estão alicerçados sob uma racionalidade instrumental. Este processo se deu no corpo, principalmente da mulher. O movimento de humanização do parto e nascimento pode contribuir com uma reflexão ontológica da dimensão humana nas ciências da saúde, possibilitando ampliar o debate sobre a racionalidade estruturante das práticas em saúde.

Palavras chave: Ciências da saúde; Saúde da mulher; Tecnologia biomédica; Humanização da assistência; Parto humanizado.


Palavras-chave


Ciências da saúde; Saúde da mulher; Tecnologia biomédica; Humanização da assistência; Parto humanizado.

Texto completo: PDF


Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem foi licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Unported.

Logotipo do Ibict