A vivência dos trabalhadores de um CAPS diante da nova organização do trabalho em equipe

Carmen Lúcia Alvez Filizola, Débora Brechesi Milioni, Sofia Cristina Iost Pavarini

Resumo


O CAPS - Centro de Atenção Psicossocial, serviço substitutivo ao manicômio, propõe um novo arranjo organizacional. O objetivo desta pesquisa foi analisar a vivência dos trabalhadores do CAPS de São Carlos - SP diante da nova organização do trabalho em equipe em saúde mental. Trata-se de estudo qualitativo realizado através de observação de campo e entrevistas. A observação revelou que o trabalho vem ao encontro da proposta de trabalho interdisciplinar na saúde mental. Da análise das entrevistas com 17 trabalhadores apreendemos três grandes categorias: 1. Considerando a experiência de trabalho em equipe como um processo, identificando pontos positivos, conflitos e dificuldades; 2. Reconhecendo a diferença do trabalho no CAPS em relação aos trabalhos anteriores; 3. Vivenciando dificuldades no início, adaptando-se e aprendendo a gostar. Ressaltamos a importância da nova organização do trabalho que possibilita maior vínculo com os usuários gerando satisfação no trabalho, autonomia e aprendizagem. Há necessidade de mudanças nas condições de trabalho com implementação efetiva de políticas públicas voltadas para a desprecarização do trabalho em saúde.

Palavras chave: Serviços de saúde mental; Equipe de assistência ao paciente; Desinstitucionalização.


Palavras-chave


Serviços de saúde mental; Equipe de assistência ao paciente; Desinstitucionalização.

Texto completo: Sem título


Licença Creative Commons A Revista Eletrônica de Enfermagem foi licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Unported.

Logotipo do Ibict