Notas sobre paisagem, visão e invisão - DOI 10.5216/vis.v6i1eI2.18075

Karina Dias

Resumo


Em “Notas sobre paisagem, visão e invisão”, minha intenção é, através da minha prática artística, desenvolver a idéia de que a paisagem cotidiana se revela em meio às coisas, em um movimento acelerado de pontos de vista distintos, ela é passagem, um deslocamento do olhar. Experimentá-la então, seria como ativar um movimento do olhar onde ver e não ver se articulam, onde os pontos de não visão, de um certo estado de cegueira se transformam em invisão, em uma visão interna. E é nesta dialética entre ver e não ver, entre não ver e ver internamente que se constitui o que chamamos de paisagem. Aqui, não se trata de ver tudo, mas sim de se aproximar para habitar, de se situar para olhar no mesmo, no espaço de sempre, a diferença.

Palavras-chave: Paisagem, visão, invisão


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5216/vis.v6i1%20e%202.18075 ';



Direitos autorais



 

Logotipo do IBICT

 

Crossref

 

 



FACULDADE DE ARTES VISUAIS/UFG
Secretaria de Pós-Graduação

Avenida Esperança, s/n
Câmpus Samambaia (Câmpus II)
CEP: 74690-900

Telefone: (62) 3521-1442
www.fav.ufg.br/culturavisual

 

 

Licença Creative Commons


A revista Visualidades está licenciada com uma Licença
Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.